Participantes

  • Amanda Queiroz Moura (Licenciatura em Matemática - Unesp)
  • Catherrine Thiene Rossini (Licenciatura em Matemática - Unesp)
  • Claudia Regina Boen Frizzarini (Licenciatura em Matemática - Unesp)
  • Elielson Sales (Doutorando em Educação Matemática A imagem no ambiente informatizado enquanto elemento facilitador para o ensino de geometria com criança surda)
  • Elizabete Leopoldina da Silva (Licenciatura em Matemática - Unesp)
  • Eloísa Jussara de Souza Silva (Licenciatura em Matemática - Unesp)
  • Lessandra Marcelly (Doutoranda em Educação Matemática)
  • Miriam Godoy Penteado (Coordenadora)
  • Renato Marcone (Doutorando em Educação Matemática)
  • Vanessa Cintra (Doutoranda em Educação Matemática)

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Nova dissertaçao sobre ensino de matemática para deficientes visuais

Abaixo transcrevo a introdução da dissertação de mestrado intitulada
INTRODUÇÃO AO CONCEITO DE FUNÇÃO PARA DEFICIENTES VISUAIS COM O AUXÍLIO DO COMPUTADOR
de autoria de Heitor de Oliveira
defendida no Mestrado em Ensino de Matemática da UFRJ, fev 2010.
maiores detalhes façam contato com o autor pelo email: heit00r@hotmail.com


INTRODUÇÃO
Como professor de Matemática em escolas particulares e públicas de ensino regular e de ensino para Jovens e Adultos, sempre percebi problemas no entendimento do conceito de função. Em geral, os alunos apresentavam as mesmas dificuldades de entendimento e cometiam erros semelhantes, tal como igualar uma função a zero a fim de “resolvê-la”. Dessa forma, minha preocupação com o ensino do conceito de função aumentava a ponto de me guiar para uma pesquisa mais detalhada do tema.
Paralelamente a isso, desde que fui aprovado no concurso para professores da Fundação Municipal de Educação de Niterói, passei a ter uma grande preocupação com a possibilidade de receber alunos com necessidades educacionais especiais e não saber como lidar com os mesmos. Em conversas com os diretores da escola, as respostas eram sempre idênticas: “Não tenho ideia de como trabalhar com eles!”
No ano de 2007, ministrava aulas nas turmas de 9° ano do Ensino Fundamental quando fui informado sobre a recente matrícula de uma aluna com baixa visão no 3° ano. Diante desta situação, comecei a me preocupar com o ensino para Deficientes Visuais. Resolvi aprender Braille e a pesquisar como poderia adaptar materiais didáticos.
Estudei na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e já conhecia o trabalho de um grupo de professores voltado para a melhoria do ensino de matemática, o Projeto Fundão – Matemática, do Instituto de Matemática da UFRJ. Porém, minha motivação aumentou ao descobrir que estava sendo trabalhada uma linha de pesquisa sobre o ensino de matemática para deficientes visuais.
Aproveitando esta linha de pesquisa e associando a mesma com minha intenção em pesquisar a aquisição do conceito de função, resolvi iniciar o meu trabalho com a Educação Especial, em particular com a introdução do conceito de função para deficientes visuais.
Sendo este um dos conceitos mais difíceis para os alunos, cuja a falta da exploração gera um hábito de igualar todas as expressões a zero na tentativa de determinar um valor específico para a variável envolvida, resolvi que o foco da minha pesquisa seria a introdução ao conceito de função.
Na introdução do conceito de função, a percepção das regularidades é um ponto fundamental para futuras concepções tais como: variáveis, gráficos e equações. Tendo em mente estes pontos, será apresentado um conjunto de atividades tendo, por objetivo,
8
verificar como os alunos deficientes visuais podem aprender o conceito de função através de uma sequência de exercícios e avaliar como o computador, por intermédio de planilhas eletrônicas, pode contribuir neste processo de aprendizagem.
Com base no primeiro objetivo deste trabalho, estruturamos atividades contidas em livros voltados para o ensino regular. A concepção de tais atividades nestes livros não contempla intencionalmente alunos que apresentam necessidades educacionais especiais, como a deficiência visual. Dessa forma, queremos mostrar como um mesmo conjunto de exercícios trabalhado com crianças sem esta deficiência pode ser usado com cegos e portadores de baixa visão apenas com adaptações intrínsecas à falta de visão.
As atividades propostas foram baseadas nos livros “Construindo o Conceito de Função” (TINOCO, 2002) e “Álgebra: das variáveis às equações e funções” (SOUZA & DINIZ, 1994).
Em virtude do público alvo desta pesquisa ser os deficientes visuais, os objetivos envolvendo o uso do computador foram possibilitados pelo Sistema DOSVOX, que será apresentado no terceiro capítulo.
Esta pesquisa foi dividida em quatro etapas:
1. Atividades iniciais em sala de aula;
2. Atividades no laboratório de informática do Instituto Benjamin Constant;
3. Análise de gráficos;
4. Entrevistas com os alunos e a professora da turma.
ESTRUTURA DA DISSERTAÇÃO
Esta dissertação está dividida em oito capítulos:
No primeiro capítulo, serão apresentadas análises e estudos acerca do ensino de funções iniciando por um breve histórico e discutindo obstáculos de aprendizado, uso das variáveis, uso da notação matemática, além da utilização de planilhas como auxílio à aquisição deste conceito.
No segundo capítulo, discutiremos sobre o ensino de funções para deficientes visuais e, para tal, iremos nos basear nas práticas pedagógicas de professores do Instituto Benjamin Constant (IBC).
9
No capítulo seguinte, tratamos de algumas das ferramentas utilizadas no ensino de deficientes visuais, da reglete ao DOSVOX.
O quarto capítulo trará informações acerca da metodologia utilizada bem como o Estudo Piloto realizado com os alunos do 7° ano do Instituto Benjamin Constant.
No quinto capítulo, serão apresentados os participantes da pesquisa: Camila e Daniel, além da professora Paula Marcia Barbosa.
No sexto capítulo, apresentaremos as atividades que fizeram parte desta pesquisa.
No capítulo seguinte, faremos as análises referentes à aplicação das atividades com os alunos do 9° anos do IBC.
No oitavo capítulo, serão apresentadas as considerações sobre este trabalho.

Um comentário:

Casa da Matemática disse...

Olá, Professora Miriam. Obrigado pelo Post. Gostaria apenas de confirmar meu e-mail: heit00r@hotmail.com

Grande abraço